segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Granada A3B2(SiO4)3







-->


Proveniente do latim granatus (grão) nomeia em geral um grupo de minerais cristalinos constituídos por dodecaedros e trapezoedros. São nesosilicatos de formulação geral A3B2(SiO4)3. As granadas variam de acordo com a diversidade de elementos químicos presentes na sua estrutura. Os principais são: cálcio, magnésio, alumínio, ferro2+, ferro3+, cromo, manganês e titânio. As granadas não apresentam clivagens, mas mostram partição dodecaédricas. A fratura e concoidal e desigual; algumas variedades são muito resistentes e podem ter aplicações abrasivas. Sua dureza se encontra entre 6, 5-7,5 e seu peso específico (densidade) está entre 3,1 e 4,3. O brilho varia entre o vítreo e o resinoso, podendo ainda ser transparentes ou opacas conforme presença ou ausência de inclusões. São comuns nas cores vermelho, amarelo, marrom, preto, verde e incolor.
O grupo da granada é subdividido por sua variabilidade química:
Os membros do grupo da granada subdividem-se através da sua variabilidade química.






Piropo ou Rubi do Cairo Mg3Al2(SiO4)3





Deriva do grego pyropos que significa flamejante. É uma granada
de cor vermelho-sangue devido ao seu conteúdo de ferro e cromo. O magnésio pode ser substituído em parte por cálcio e/ou ferro ferroso (Fe2+).
O piropo raramente possui inclusões, mas, quando presentes, estas se encontram em forma de cristais arredondados ou apresentam contorno irregular. Como todas as granadas, o piropo não possui clivagem e a fratura é de subconcóide a irregular.
Tal pedra pode ser encontrada em rocha vulcânica e depósitos aluviais e pode, juntamente com outros minerais, indicar a presença de rochas portadoras de diamantes. As jazidas podem ser localizadas no Arizona, África do Sul, Argentina, Austrália, Brasil, Myammar, Escócia, Suíça e Tanzânia.
Os exemplares transparentes são empregados como gemas e joalhe
rias. Uma importante variedade do piropo é a rodolite, do grego rosa – é originária do condado de Macon, na Carolina do Norte e se caracteriza pela cor violeta-vermelha e por constituir uma solução sólida de 2:1 entre piropo e almandina.


Os piropos suíços e sul-africanos são pedras de vermelho mais claro do que as
pedras da Boémia, onde se utiliza o piropo na joalheria há mais de quinhentos anos.
Grossularite ou grossulária Ca3Al2(SiO4)3


É uma granada de cálcio-alumínio com fórmula Ca3Al2(SiO4)3, embora o cálcio pos
sa, em parte, ser substituído pelo ferro ferroso (Fe2+) e o alumínio por ferro férrico (Fe3+). As cores mais comuns deste mineral são:

verde, 

marrom-canela,
vermelho 

e amarelo. 

A grossularite é um mineral típico de metamorfismo de contacto de calcários, onde se encontra associada a vesuvianite, diapsódio, wollastonite e wernerite. Grossularite é um termo derivado da botânica.
Almandite, almandina ou carbúnculo Fe3Al2(SiO4)3


É uma granada de ferro-alumínio com a fórmula Fe3Al2(SiO4)3. As variedades transparentes podem ter bastante valor enquanto pedras preciosas. A Almandite é um mineral comum em rochas metamórficas como micaxisto, onde ocorre associado a estaurolite, distena, andalusite, entre outros.
Espessartite Mn3Al2(SiO4)3



É uma granada de manganês e alumínio de fórmula Mn3Al2(SiO4)3. Seu nome deriva da cidade de Spassart na Baviera. Esta variedade pode apresentar cores variadas, de acordo com o tipo e quantidade de impurezas. As mais famosas são as espessartites laranja de Madagascar e os exemplares violeta-vermelho que ocorrem em riólitos do Colorado e Maine.
Uvarovite Ca3Cr2(SiO4)3


É uma granada de cálcio e cromo de fórmula Ca3Cr2(SiO4)3. É a varie dade mais rara dentro do grupo da granada, surgindo em pequenos cristai
s de cor verde associados a cromita e serpentina.
Sua cor se deve a presença de cromo. Os cristais são muito frágeis, com fratura de subconcóide a irregular.
A uvarovite ocorre em rochas de serpentina. Os melhor
es cristais são encontrados nos Urais, na Rússia, em torno de cavidades ou fissuras na rocha. Outras fontes são a Finlândia, Turquia e Itália.
Andradite Ca3Fe2(SiO4)3
É uma granada de cálcio e ferro fórmula Ca3Fe2(SiO4)3,, embora sejam comuns substituições catiônicas importantes. As cores dependem destas variações e podes ser: vermelho, amarelo, marrom, verde ou preto. As subariedades reconhecidas são:
Topaziolite (amarelo ou verde), 


demantóide (verde)

e melantinite (preto).
 

A andradite pode ser encontrada em rochas ígneas de profundidade, como os sienitos, e em rochas metamórficas como os
xistos e calcários.
Granadas Sintéticas

São duas as granadas sintéticas: a granada de gadolínio e gálio (Gd3Ga2(GaO4)3) sintetizado para uso na indústria de informática e granada de ítrio e alumínio (Y3Al2(AlO4)3), gema sintética que, quando contém neodímio é útil na focagem de lasers.
Referências
Fonte do texto original:
Wikipédia A enciclopédia livre
http://pt.wikipedia.org/wiki/Almandina

3 comentários:

isa disse...

Bom dia!
estava procurando sobre pedras e encontrei seu blog, parabens pelo belo trabalho!
voce sabe me dizer das propriedades terapeuticas da granada?
Isabel.

Jota Brasil disse...

Olá, tudo bem?

Sou um colecionador novato de pedras exóticas. sempre acreditei na energia terapêutica delas (Já obtive alguns resultados com rochas marinhas por exemplo)Eu tenho uma pequena coleção de pedras dentro de um recipiente plastico. Todas juntas, pois não sei como conserva-las. Pensei num aqueario com agua mineral...existe algum lugar ideal para conserva-las? Obrigado, se puder me ajudar meu e-mail é:
jaime-marques1967@bol.com.br

gilberto teresino disse...

Moro na zona rural,aqui tem um lugar onde se encontra muitas dessas pedras que chamam granada.Como faço para trabalhar com essas pedras? Estou aguardando resposta.Endereço:zircaojatai@hotmail.com

AdSense